Cálcio x Cirurgia Bariátrica

Cálcio x Cirurgia Bariátrica

Por Em Nutrição & Saúde Em 22 de novembro de 2017


Com as taxas de obesidade aumentando em nível global, mais pessoas estão optando pela cirurgia bariátrica como um instrumento para reduzir complicações metabólicas e mecânicas do excesso de peso.

Os procedimentos laparoscópicos são os preferidos, uma vez que estão associados a   menores taxas de morbidade e mortalidade. A banda gástrica ajustável (adjustable gastric banding), o bypass em Y de Roux (Roux-en-Y gastric bypass, RYGB), a gastrectomia vertical (sleeve gástrico, SG), o desvio biliopancreático (biliopancreatic diversion, BPD) e o BPD duodenal switch (BPD/DS) são os principais procedimentos realizados.

A cirurgia bariátrica continua sendo uma intervenção disponível àqueles que buscam a perda de peso. É um procedimento que apresenta como resultado melhora no quadro das comorbidades relacionadas à obesidade e um significativo declínio no índice de mortalidade. Por outro lado, está associada ao risco de deficiências de minerais, o que torna importante uma triagem de rotina desses pacientes.

A suplementação é fundamental para prevenir e tratar essas deficiências, entre as quais são mais comuns as de ferro, vitamina B12, cálcio com vitamina D. O uso de alimentos fortificados pode trazer benefícios aos que enfrentam essa situação, e a educação nutricional é essencial para prevenir deficiências e proporcionar maior qualidade de vida.

Hoje vamos dar destaque ao cálcio. Esse mineral é absorvido, principalmente, no duodeno e no jejuno proximal e sua absorção é facilitada pela vitamina D em um ambiente ácido.

Os pacientes submetidos à cirurgia bariátrica correm o risco de deficiência de cálcio por vários mecanismos:

- A absorção do cálcio é prejudicada após RYGB, BPDDS e SG, devido à diminuição da área superficial de absorção. Por exemplo: a anatomia do pós-cirúrgico RYGB elimina o duodeno e o jejuno proximal e, embora o cálcio possa ser absorvido passivamente durante todo o restante do intestino, a absorção diminui de 33%, no pré-operatório, para 7%, no pós-operatório.

- Após a cirurgia, os indivíduos podem desenvolver aversão a itens alimentares específicos, levando à deficiência de micronutrientes. Frequentemente, pacientes desenvolvem intolerância à lactose ou aversão ao leite, uma das principais fontes de cálcio.

- É comum existirem altas taxas de deficiência de micronutrientes entre a população obesa antes da cirurgia devido a hábitos alimentares inadequados.

A redução do cálcio observada após procedimentos bariátricos comumente causa hiperparatiroidismo secundário. Além disso, essa redução somada à insuficiência de vitamina D (relatada em 50-60% dos pós-operatórios, apesar da suplementação), contribui para a perda óssea pós-operatória. Para prevenir essas patologias e potencialmente reduzir a taxa de nefrolitíase após procedimentos mal absortivos, recomenda-se suplementação com cálcio após cirurgia bariátrica.

É consenso que todos os pacientes, após a cirurgia bariátrica, devem tomar suplementos de cálcio, mas a dose apropriada diária de cálcio e o tipo de suplemento recomendado podem variar de acordo com o procedimento cirúrgico e as características de cada paciente. Apesar de se saber que o cálcio deve ser administrado em doses divididas ao longo do dia, para otimizar a saúde óssea global, a forma preferida de suplementação de cálcio pode gerar dúvidas.

O citrato de cálcio oferece algumas vantagens quando comparado ao carbonato de cálcio: é um sal mais bem absorvido na ausência de produção de ácido gástrico, característica comum de muitos pacientes submetidos à cirurgia bariátrica; pode ser tomado com ou sem refeições, ao passo que o carbonato de cálcio precisa ser consumido com as refeições para aumentar a absorção intestinal. Por outro lado, preparações de carbonato de cálcio são facilmente disponíveis em formas mastigáveis, que são mais bem toleradas logo após a cirurgia.

Neste ponto, vale ressaltar uma informação importante sobre os produtos fortificados de cálcio. Eles podem servir como fontes auxiliares para a recuperação dos níveis adequados de cálcio no organismo ou prevenção de deficiências.

Destacamos, aqui, alguns compostos de excelente qualidade para uso em alimentos fortificados: o Cálcio Citrato Malato (CCM), que é formado por cálcio ligado ao ácido cítrico e ácido málico na proporção 6:2:3 e confere absorção quase duas vezes maior que o cálcio proveniente do leite e de sais como carbonato, citrato e fosfato. Há também o Calci-K® (Cálcio, fósforo e potássio complexados) e o DimaCal® (Dicálcio malato). São todos produtos de qualidade atestada pela Albion, aprovados para uso em alimentos e que reúnem características como a de não alterar as propriedades organolépticas dos alimentos fortificados, dissolver rapidamente em alimentos líquidos, dispensando o uso de agentes de suspensão, além de conferir biodisponibilidade superior à dos outros compostos disponíveis no mercado.

É fundamental que a suplementação seja adequada para corrigir e/ou prevenir o desenvolvimento de hipocalcemia e, quanto mais eficiente o tipo de composto de cálcio usado, melhor será o resultado, lembrando que o risco de deficiência nutricional após a cirurgia bariátrica, entre os pacientes submetidos a esse procedimento, requer acompanhamento individualizado ao longo da vida e auxilia na condução de uma vida mais saudável.

 

Referências bibliográficas

PARROTT, J. et al. American Society for Metabolic and Bariatric Surgery Integrated Health Nutritional Guidelines for the Surgical Weight Loss Patient 2016 Update: Micronutrients. Surgery for Obesity and Related Diseases, v. 13, n. 5, p. 727-41, 2017.

SHAH, M. et al. Hypocalcemia after bariatric surgery: prevalence and associated risk factors. Obesity Surgery, p. 1-7, 2017.

SOCIEDADE BRASILEIRA DE CIRURGIA BARIÁTRICA E METABÓLICA. Técnicas cirúrgicas. Disponível em: <http://www.sbcbm.org.br/wordpress/tratamento-cirurgico/cirurgia-laparoscopica/>. Acesso em: 09/10/2017.

SMELT, H. J. M.; POUWELS, S.; SMULDERS, J. F. The clinical dilemma of calcium supplementation after bariatric surgery: calcium citrate or calcium carbonate that is the question? Obesity Surgery, v. 26, p. 2781-82, 2016.

VIA, M. A.; MECHANICK, J. I. Nutritional and micronutrient care of bariatric surgery patients: current evidence update. Current Obesity Reports, v. 6, n. 3, p. 286-96, 2017.

Compartilhe:Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInEmail this to someone

Sobre o Autor

Kilyos Nutrition

Deixe um comentário

Receba nossas novidades por e-mail

Não divulgaremos suas informações