Câncer e Deficiência de minerais

Câncer e Deficiência de minerais

Por Em Aplicação de produtos Em 14 de julho de 2016


O câncer é caracterizado pela ocorrência das neoplasias, processo no qual é observado o crescimento celular não controlado, mais conhecido como tumor. Os fatores de risco relacionados ao aparecimento do câncer podem ser endógenos, como, por exemplo, o excesso da produção das espécies reativas de oxigênio (EROs) no organismo, ou exógenos, como a alimentação, ingestão de bebidas alcoólicas, tabagismo entre outros.

O surgimento do câncer, propriamente dito, dá-se a partir de alterações no DNA das células. Estudos têm demonstrado que os micronutrientes (vitaminas e minerais) são fundamentais para a manutenção do DNA e que alterações nos níveis desses micronutrientes no organismo podem estar relacionadas à ocorrência dessa patologia.

Cálcio

Evidências científicas indicam que o cálcio previne o câncer de cólon ao diminuir a proliferação celular e induzir a diferenciação das células. Além disso, o consumo de alimentos fontes de cálcio está associado à diminuição do risco de câncer de cólon retal.

Selênio

A elevação na produção de espécies reativas de oxigênio (EROs) no organismo tem sido relacionada à ocorrência de  vários tipos de câncer. Além disso, estudos têm demonstrado que pacientes com baixa ingestão de selênio apresentam expressão reduzida das enzimas antioxidantes protetoras do DNA em diversos tipos de câncer. Por isso, a suplementação de selênio parece ocasionar redução do risco de alguns tipos de câncer, diminuindo o estresse oxidativo e o dano ao DNA. No entanto, mais estudos são necessários para esclarecer as doses de selênio adequadas para cada situação (sexo, localização geográfica e tipo de câncer).

Suplementos minerais e câncer

O uso de suplementos dietéticos é comum na população adulta dos EUA. Nesse país, 49% dos adultos usaram, pelo menos, um suplemento dietético entre 2007 e 2010 e 32% relataram o uso de um suplemento multivitamínico-multimineral.

No Brasil, informações sobre a extensão e a frequência de consumo desses produtos são escassas, porém alguns estudos disponíveis, apesar de restritos a determinados segmentos da população, mostram que o consumo de suplementos vitamínicos e/ou minerais chega a ser comparável ao encontrado nos Estados Unidos.

A maioria dos suplementos dietéticos é usada para melhorar ou manter a saúde em geral. O efeito substancial desses suplementos na saúde e na mortalidade de portadores de doenças crônicas, como as doenças cardiovasculares e o câncer, nos EUA, tem sido bem descrito e muitos suplementos têm sido utilizados para prevenir essas enfermidades.

Referências:

Almondes, K. G. D. S., Leal, G. V. D. S., Cozzolino, S. M. F., Philippi, S. T., & Rondó, P. H. D. C. (2010). O papel das selenoproteínas no câncer. AMB: Revista da Associação Médica Brasileira, 56(4), 484-488.

Abe-Matsumoto, L. T., Sampaio, G. R., & Bastos, D. H. (2015). Suplementos vitamínicos e/ou minerais: regulamentação, consumo e implicações à saúde Vitamin and mineral supplements: regulation, consumption, and health implications Suplementos de vitaminas y/o minerales. Cad. Saúde Pública,31(7), 1371-1380.

Moyer, V. A. (2014). Vitamin, mineral, and multivitamin supplements for the primary prevention of cardiovascular disease and cancer: US Preventive Services Task Force recommendation statement. Annals of internal medicine, 160(8), 558-564.

Ferraz, C. M., Steluti, J., & Marchioni, D. M. L. (2010). As vitaminas e minerais relacionados à estabilidade genômica e à proteção ao câncer.Nutrire Rev. Soc. Bras. Aliment. Nutr, 35(2).

 

Compartilhe:Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInEmail this to someone

Sobre o Autor

Kilyos Minerals & Nutrition

Deixe um comentário

Receba nossas novidades por e-mail

Não divulgaremos suas informações