Efeito do zinco aminoácido quelato e sulfato de zinco na incidência de infecção respiratória e diarreia em crianças pré-escolares
  • Home
  • Análise de estudos
  • Efeito do zinco aminoácido quelato e sulfato de zinco na incidência de infecção respiratória e diarreia em crianças pré-escolares

Efeito do zinco aminoácido quelato e sulfato de zinco na incidência de infecção respiratória e diarreia em crianças pré-escolares

Por Em Análise de estudos Em 5 de janeiro de 2015


canstockphoto21942220O zinco é um micronutriente essencial para o crescimento celular, síntese proteica e diferenciação celular. Em crianças, sua deficiência afeta o crescimento físico e aumenta o risco e a gravidade de uma variedade de infecções.

De acordo com estimativas da Organização Mundial da Saúde (OMS) e UNICEF, em 2008, ocorreram, no mundo, 8.795.000 óbitos de crianças menores de cinco anos, 68% dos quais devido a doenças infecciosas, 18%, a pneumonia e 15%, a diarreia.

Estudos mostram que o zinco pode ser utilizado como terapia adjuvante no tratamento da diarreia aguda, além de poder reduzir a incidência deste sintoma quando administrado por algumas semanas. Em relação à infecção respiratória aguda, vários estudos têm mostrado o efeito da suplementação de zinco na prevenção e tratamento da pneumonia e do resfriado comum.

Existem vários tipos de suplemento à base de zinco, como o sulfato de zinco e o zinco aminoácido quelato. Quando se trata de nutrição infantil, o sulfato de zinco é o mais utilizado, mas apresenta efeitos colaterais como náuseas e vômitos, além de sabor desagradável. Já o zinco aminoácido quelato apresenta maior absorção intestinal e melhor tolerância gastrointestinal.

Estudo

Um estudo realizado em 2014 por Sanchez et al. avaliou o efeito de dois compostos de zinco na prevenção de infecção respiratória aguda e diarreia em crianças pré-escolares, na cidade de Medellín, Colômbia.

Durante 16 semanas, 301 crianças de 2 a 5 anos de idade receberam leite suplementado, ou não, em duas doses: uma no café da manhã e outra no lanche. Dessas, 93 receberam leite fortificado com aminoácido quelato de zinco, 112 receberam leite fortificado com sulfato de zinco e 96 receberam placebo (leite sem zinco).

Foram coletados os dados de frequência de consumo diário do leite e foi investigada a presença de sintomas de infecção respiratória ou diarreia. Também foi verificada a presença de efeitos colaterais do uso do suplemento de zinco, como dor abdominal e vômitos.

Resultado

As crianças que receberam leite enriquecido com zinco (sulfato e aminoácido quelato) apresentaram risco de infecção respiratória aguda 2,22% menor do que as crianças que consumiram placebo (Quadro 1).

As crianças que beberam leite enriquecido com zinco aminoácido quelato tiveram menores taxas de incidência tanto de infecção respiratória aguda quanto de diarreia aguda.

Quanto aos efeitos colaterais, a prevalência foi maior no grupo que consumiu sulfato de zinco. Este também apresentou vômitos com mais frequência, quando comparado com os outros grupos.

Quadro 1. Incidência de infecção respiratória aguda (IRA) e de doenças diarreicas agudas (EDA) segundo grupo de estudo.

incidência de infecção2

Conclusão

O zinco aminoácido quelato foi capaz de diminuir a incidência de infecção respiratória aguda e diarreia em comparação aos outros grupos de estudo. Além disso, a ingestão de zinco aminoácido quelato não causou efeitos colaterais nas crianças que participaram do estudo, garantindo assim o consumo do leite fortificado. 

Referência: SÁNCHEZ, Juliana et al. Efecto del zinc aminoquelado y el sulfato de zinc en la incidencia de la infección respiratoria y la diarrea en niños preescolares de centros infantiles. Biomédica, v. 34, n. 1, p. 79-91, 2014.

Compartilhe:Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInEmail this to someone

Deixe um comentário

Receba nossas novidades por e-mail

Não divulgaremos suas informações