IDR de minerais para lactentes, crianças e adultos

IDR de minerais para lactentes, crianças e adultos

Por Em Nutrição & Saúde Em 14 de novembro de 2014


Necessidades nutricionais

canstockphoto19021420Necessidades nutricionais são as quantidades de nutrientes e de energia que um indivíduo deve ingerir para satisfazer suas necessidades fisiológicas normais e prevenir deficiências.

As vitaminas e os minerais são muito importantes, pois exercem funções específicas essenciais para a saúde, como manutenção da saúde óssea e redução do risco de osteoporose, e ação antioxidante podendo prevenir doenças cardiovasculares e câncer. Estes compostos são denominados micronutrientes, pois são necessários em pequenas quantidades. No entanto, para atingir as recomendações o seu consumo deve ser diário e a partir de diferentes fontes.

O que é IDR?

Ingestão Diária Recomendada (IDR) é a quantidade de nutriente (como vitaminas e minerais) que deve ser consumida diariamente para atender às necessidades nutricionais da maior parte dos indivíduos e grupos de pessoas de uma população sadia.

Como estes valores são estabelecidos?

Os valores da IDR são baseados na RDA (Recommended Dietary Allowances) que são as recomendações nutricionais para a população americana sadia, estabelecidas pela Food and Nutrition Board (FNB) da National Research Council (NRC), National Academy of Sciences dos Estados Unidos da América, publicada em 1989) e indicados para todas as idades (lactentes, crianças, adultos, gestantes e lactantes).

Com o avanço da ciência, novos conceitos foram incorporados, relacionados a manifestações clínicas tanto devido a ingestão insuficiente quanto pela toxicidade, que indicam efeitos adversos decorrentes do consumo em excesso de determinado nutriente.

Foi então que surgiram as Dietary Reference Intakes (DRI), que constituem-se na mais recente revisão dos valores de recomendação de nutrientes e energia adotados pelos Estados Unidos e Canadá, e que vêm sendo publicadas desde 1997, na forma de relatórios parciais elaborados por comitês de especialistas organizados por uma parceria entre o Institute of Medicine norte-americano e a agência Health Canada. 

A DRI considera quatro valores de referência de ingestão de nutrientes e possui maior abrangência que as RDAs, sendo concebidas para substituí-las. Esse conjunto de valores de referência serve para avaliação e planejamento de consumo, rotulagem e fortificação de alimentos.

Os valores de referência são:

  • Estimated Average Requirement (EAR);
  • Recommended Dietary Allowances (RDA);
  • Adequate Intake (AI);
  • Tolerable Upper Intake Level (UL).

Assim, para indivíduos, EAR e UL são as categorias de referência mais adequadas para a avaliação de dietas, enquanto RDA ou AI devem ser utilizadas como metas de ingestão. Valores de consumo abaixo do EAR denotam grande probabilidade de inadequação, e acima do UL, risco de desenvolvimento de efeitos adversos (toxicidade).

Quais valores devem ser utilizados?

A legislação brasileira, através da RDC Nº. 269, de 22 de setembro de 2005, aprovou o “Regulamento técnico sobre a ingestão diária recomendada (IDR) de proteínas, vitaminas e minerais”, com a finalidade de padronizar informações nutricionais para rotulagem de alimentos, suplementos e alimentos fortificados, principalmente quanto à porcentagem de atendimento às necessidades nutricionais.

Recomendação diária dos minerais nas diferentes faixas etárias, segundo a RDC n°269:

IDRoficial                                                                                                                                                    Legenda: * valor em microgramas

 

Referências

Ministério da Saúde. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Resolução RDC nº 269, de 22 de setembro de 2005. O “REGULAMENTO TÉCNICO SOBRE A INGESTÃO DIÁRIA RECOMENDADA (IDR) DE PROTEÍNA, VITAMINAS E MINERAIS”. ANVISA – Agência Nacional de Vigilância Sanitária, de 23 de setembro de 2005. Disponível em:http://e-legis.bvs.br/leisref/public/showAct.php?id=18828&word=.

PADOVANI, Renata Maria et al. Dietary reference intakes: aplicabilidade das tabelas em estudos nutricionais. nutr, v. 19, n. 6, p. 741-760, 2006.

CUPPARI, Lilian. Guia de nutriçäo: nutriçäo clínica no adulto. In:Guias de medicina ambulatorial e hospitalar. Manole, 2002.

INSTITUTE OF MEDICINE (US). PANEL ON MICRONUTRIENTS; INSTITUTE OF MEDICINE (US). FOOD; NUTRITION BOARD.DRI, Dietary Reference Intakes for Vitamin A, Vitamin K, Arsenic, Boron, Chromium, Copper, Iodine, Iron, Manganese, Molybdenum, Nickel, Silicon, Vanadium, and Zinc: A Report of the Panel on Micronutrients…[et Al.], Food and Nutrition Board, Institute of Medicine. National Academies Press, 2014.

Compartilhe:Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInEmail this to someone

Sobre o Autor

Kilyos Minerals & Nutrition

Deixe um comentário

Receba nossas novidades por e-mail

Não divulgaremos suas informações