Minerais quelatos Albion
  • Home
  • Minerais quelatos albion

“O mineral aminoácido quelato é o produto resultante da reação de um íon metálico
proveniente de um sal solúvel com aminoácidos, na proporção molar de um mol de metal para um a três (preferencialmente dois) moles de aminoácidos, para formar ligações coordenadas covalentes. O peso molecular do quelato resultante não pode exceder 800 dáltons.” (Artigo 57.142: definição de metal aminoácido quelato da American Association of Feed Control Oficialis).

A deficiência alimentar de componentes nutricionais comprometem a saúde, o bem estar, a
formação e desenvolvimento de homens e mulheres.
Há uma ideia comum sobre a alimentação e nutrição de que comer de forma balanceada
supre todas as necessidades nutricionais para o desempenho correto do organismo. No entanto, as diferentes fases de elaboração dos alimentos, desde sua origem, onde já há um decréscimo de nutrientes essenciais no solo, até seu refino, impedem que essa ideia seja verdadeira.
Além do mais, na própria dieta, há a presença de fatores antinutricionais (como os fitatos,
oxalatos, gorduras e fibras) e a competição entre nutrientes pelo canal de absorção do organismo, o que resulta em diminuição da sua absorção.

O resultado é que o consumo de quantidades adequadas de vitaminas e minerais é pouco
frequente na população, como demonstra a tabela abaixo:

Porcentagem da população mundial que não atinge as recomendações diárias de minerais

Magnésio75%

Cálcio58%

Ferro56%

Manganês50%

Zinco40%

OMS, 2001: Krause MV, Mahan LK (1991); National Research Council.

Deficiências na população

Além dos grupos de risco (como idosos, gestantes, crianças, portadores de enfermidades,
etc), as deficiências também podem se instalar na população considerada saudável, principalmente em razão da má alimentação e outros fatores como estresse, fumo, consumo de álcool, excesso de açúcares e medicamentos, que interferem na utilização de nutrientes pelo organismo.
Para adequar as necessidades de nutrientes no organismo, é necessário o uso de
suplementos vitamínicos minerais que satisfaça as carências determinadas pelos alimentos pobres e pelas dietas desequilibradas.
Os compostos minerais presentes nestes suplementos possuem uma ampla gama de
variações enquanto compostos nutricionalmente viáveis e fisiologicamente ativos.
Alguns suplementos minerais presentes no mercado brasileiro são constituídos por
compostos minerais de baixa biodisponibilidade (como o sulfato ferroso, sulfato de zinco, carbonato ou fosfato de cálcio, entre outros) que, por esta razão, não atingem os sistemas metabólicos em quantidades suficientes para que sejam efetivos.

Ao contrário disto há os suplementos que utilizam os minerais quelatos Albion em sua
fórmula, os quais representam uma nova geração de minerais, desenvolvidos especificamente para a nutrição humana e oferecem alta biodisponibilidade e, consequentemente, alta eficácia.

Patente dos quelatos de minerais em proteínas hidrolisadas

Na década de 1950, a Albion desenvolveu e patenteou os quelatos de minerais em proteínas
hidrolisadas, que tinham a propriedade de evitar os efeitos colaterais e incrementar
significativamente sua absorção. A partir dos anos 1970, com a comercialização dos aminoácidos livres, optou-se pela quelação dos minerais no aminoácido glicina. O tamanho da molécula de glicina determinou os os índices de absorção que fazem dos minerais quelatos Albion os compostos minerais mais absorvidos até hoje.
Os minerais aminoácidos quelatos Albion são nutricionalmente funcionais, pois possuem
carga elétrica neutra, constante de estabilidade alta o suficiente para manter o composto estável no trato gastrointestinal e peso molecular dentro do limite necessário para que o quelato não necessite ser hidrolisado para ser absorvido.
Após a sua ingestão, o mineral quelato Albion continua ligado aos aminoácidos em sua
passagem pelo trato gastrointestinal. Isto impede que compostos presentes nos alimentos, como taninos, oxalatos e fitatos causem interferências que reduzem o processo de absorção.

molecula-quelato

Minerais neutros quimicamente

Os minerais Albion também são neutros eletroquimicamente e não interagem com
medicamentos, não formam complexos insolúveis com outros minerais nem competem pelo mesmo sítio de absorção. Outro efeito é ausência de efeitos colaterais no trato gastrointestinal.
Essas características conferem aos minerais aminoácidos quelatos uma alta
biodisponibilidade, superior a todos os outros compostos minerais.

biodisponibilidade
Absorção

Os minerais quelatos Albion são absorvidos no jejuno por um mecanismo de transporte
ativo, como uma molécula de dipeptídeo. Não são hidrolisados no trato gastrointestinal e, por terem carga elétrica neutra, não se ligam a outros compostos durante os processos de digestão e absorção.
Logo após sua absorção, os minerais quelatos Albion são hidrolisados no interior das células.
O íon é liberado e, então, transportado, utilizado, armazenado ou excretado de acordo com as necessidades do organismo.
Em resumo, as características dos minerais quelatos Albion oferecem:

  • Alta biodisponibilidade;
  • Ausência de interações com outros componentes da dieta ou fármacos;
  • Ausência de efeitos colaterais gastrointestinais.

Receba nossas novidades por e-mail

Não divulgaremos suas informações