O magnésio e a osteoporose

O magnésio e a osteoporose

Por Em Análise de estudos Em 10 de março de 2015


Magnésio

O magnésio é um importante micronutriente para o equilíbrio do corpo, por ser cofator em centenas de sistemas enzimáticos reguladores, como os que envolvem a síntese de proteínas, as funções muscular e nervosa, o controle da glicemia e a regulação da pressão arterial. Além disso, participa na homeostase óssea e mineral, sendo necessário para o crescimento e a estabilização de cristais ósseos.

A osteoporose

osso_osteoporoseA osteoporose é uma doença multifatorial, caracterizada pela perda de massa óssea e capaz de aumentar o risco de fraturas e as complicações associadas a elas, como dor e incapacidade. De acordo com a OMS (Organização Mundial da Saúde), a osteoporose afeta cerca de 200 milhões de pessoas em todo o mundo, principalmente mulheres no período da pós-menopausa. O magnésio tem importante função na prevenção e no tratamento da osteoporose, pois está envolvido com a patogênese dessa doença.

A deficiência de magnésio 

A deficiência de magnésio no organismo pode ocorrer por diversas causas, sendo a mais comum delas a ingestão inadequada desse mineral. As principais fontes alimentares de magnésio são: sementes oleaginosas (avelã, amêndoas), frutas secas (ameixa), leguminosas, cereais integrais, frutos do mar,  vegetais verde-escuros, leite e derivados. O consumo regular desses alimentos contribui para a prevenção dessa deficiência. Contudo, muitas vezes, não é possível alcançar a IDR (Ingestão Diária Recomendada) de magnésio somente através da alimentação e, por isso, o indicado é recorrer a suplementos nutricionais que contenham compostos minerais de magnésio altamente biodisponíveis, como o magnésio bisglicinato quelato Albion. Em caso de doenças gastrointestinais e renais crônicas, a deficiência de magnésio também se faz frequente.  E, uma vez que a homeostase do magnésio é regulada através de uma rede complexa de transportadores no intestino e no rim, sua deficiência torna-se prevalente em casos de doenças gastrointestinais e renais crônicas. Essa deficiência também pode ocorrer no diabetes mellitus, na anemia falciforme, em terapias com algumas classes de antibióticos, diuréticos ou antineoplásicos. Além disso, a deficiência de magnésio é muito comum em idosos e em alcoólatras.

Estudo

Após levantamento bibliográfico realizado em 2013 por Castiglione e colaboradores, os seguintes mecanismos foram propostos, a fim de se esclarecer a relação entre a deficiência de magnésio e a osteoporose.

deficiência_magnésio

Os mecanismos que explicam os efeitos da deficiência de magnésio no osso em seres humanos são semelhantes aos descritos em modelos experimentais:

→ O osso é constaosteoblasto_osteoclastontemente remodelado por interações coordenadas entre os osteoclastos, as células envolvidas, principalmente, na reabsorção óssea, e os osteoblastos, que garantem a formação óssea e a mineralização. A diminuição dos osteoblastos, o aumento dos osteoclastos e o aumento dos cristais de hidroxiapatita reduzem a rigidez óssea.
→ O PTH (hormônio da paratireoide ou paratormônio) e o 1,25(OH)2 (forma ativa da vitamina D) são reguladores-chave da homeostase (equilíbrio) do cálcio, que, em baixas concentrações, levam à redução da formação óssea.

Muitas mulheres pós-menopausa com osteoporose, deficientes em vitamina D e com baixos níveis de PTH, são também deficientes em magnésio, sendo a suplementação deste mineral a forma adequada para corrigir essas alterações bioquímicas.

→ A deficiência de magnésio contribui para uma resposta exagerada do sistema imunológico, que gera inflamação. Além disso, também promove o estresse oxidativo, pois reduz as defesas antioxidantes e aumenta a quantidade de radicais livres.

Níveis aumentados de componentes inflamatórios e de radicais livres amplificam a ação dos osteoclastos e inibem a função de osteoblastos.

→ O endotélio é importante para a saúde dos ossos, e a deficiência de magnésio promove a disfunção endotelial. Assim, acredita-se que a diminuição do volume e do número de vasos sanguíneos intraósseos contribui para o desenvolvimento da osteoporose pós-lesão ou associada ao envelhecimento.

A homeostase de magnésio é crucial para a saúde dos ossos. Vale ressaltar que a ingestão dietética de magnésio de pré-adolescentes se relacionou positivamente com a densidade da massa óssea no adulto jovem, indicando que zelar por uma estrutura óssea saudável ao longo da vida é uma estratégia para prevenir a osteoporose.

Assim, a ingestão adequada de magnésio, associada aos minerais e vitaminas necessários para manter a saúde óssea, por meio da alimentação e/ou associada à suplementação,  é uma forma eficiente e de baixo custo para prevenir e tratar a osteoporose.

Referência

Castiglioni, S., Cazzaniga, A., Albisetti, W., & Maier, J. A. M. Magnesium and osteoporosis: current state of knowledge and future research directions. Nutrients, n. 5, v. 8, p. 3022-33. 2013.

Compartilhe:Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInEmail this to someone

2 Comentários

  • Edna Leone Tavares Galvão 2 YEARS AGO

    Boa tarde, muito boa a matéria, foi constatado osteoporose na minha coluna, e a ginecologista passou 3 tipos de medicação , como poderia saber se posso tomar suprimentos a base de magnésio? obrigada.

    Responder
    • Kilyos Minerals & Nutrition 2 YEARS AGO

      Olá, Edna! Agradecemos seu contato. Nesses casos, é aconselhável consultar um médico antes de iniciar a suplementação. Atenciosamente, Equipe Kilyos

      Responder

Deixe um comentário

Receba nossas novidades por e-mail

Não divulgaremos suas informações