Suplementação de ferro com sulfato ferroso: indiferença e ineficácia

Suplementação de ferro com sulfato ferroso: indiferença e ineficácia

Por Em Análise de estudos, Nutrição & Saúde Em 23 de março de 2015


ferro_suplementação

Ferro

O ferro é um nutriente essencial para a nossa saúde, uma vez que participa de diversas reações necessárias para manter o bom funcionamento do corpo. Ele compõe proteínas, incluindo enzimas e a hemoglobina, que tem papel de destaque no transporte do oxigênio para os tecidos.

Anemia ferropriva                  

É muito comum não conseguirmos atingir a IDR (Ingestão Diária Recomendada) de ferro, seja por conta da má alimentação, ingestão insuficiente desse mineral ou outros fatores que podem comprometer a absorção deste no organismo. Quando isso ocorre de forma mais intensa, desenvolve-se a anemia ferropriva – anemia causada pela deficiência de ferro.

A anemia ferropriva é um relevante problema de saúde mundial, visto que amplia os riscos na gestação, reduz a produtividade, pode prejudicar o desempenho das funções cognitivas a longo prazo, aumenta os gastos públicos com a saúde e, principalmente, acomete cerca de metade da população mundial.

Essa doença atinge, em sua maioria, gestantes e crianças pré-escolares. Durante a infância, a deficiência de ferro está associada a déficits cognitivos, prejuízos no crescimento e no desenvolvimento psicomotor e também à morbidade e mortalidade infantil, classificando este grupo como prioritário para programas de intervenção nutricional.

A principal alternativa para o tratamento da anemia é a suplementação medicamentosa com ferro.

 

Estudo

Em 2014, Stulbach e colaboradores publicaram um estudo sobre a eficácia da suplementação de ferro no controle de anemia em lactentes de 6 a 24 meses matriculados nos Centros de Educação Infantil do município de Guarujá-SP.

A suplementação de ferro obedeceu às orientações do Programa Nacional de Suplementação de Ferro (Ministério da Saúde, Brasil) e, uma vez na semana, durante 24 semanas, foi oferecido sulfato ferroso (5 mL da solução contendo 25 mg de ferro elementar)  às crianças.

Para o diagnóstico da anemia, foi feita a dosagem da concentração de hemoglobina [Hb] antes e após a suplementação. Considerou-se anemia moderada para valores de Hb entre 9,5 g/dL e 11,0 g/dL e anemia grave para valores menores ou iguais a 9,5 g/dL, conforme critério da Organização Mundial da Saúde.

Resultados

A suplementação não evidenciou melhora para aqueles com anemia moderada e reduziu, de forma sutil, a prevalência de anemia grave nas crianças submetidas à suplementação.

Figura 1. Prevalência de anemia em lactentes antes e após o uso de sulfato ferroso

suplementação de ferro

Suplementação com sulfato ferroso: sinônimo de ineficácia

Comumente, o mineral escolhido para compor suplementos, alimentos e bebidas é o sulfato ferroso. Isso se deve, principalmente, pelo seu baixo custo. Quando observamos no rótulo de um produto “rico em ferro”, por exemplo, temos a ilusão de que consumiremos algo saudável, que trará benefícios à nossa saúde. No entanto, nem sempre é isso o que ocorre.

O sulfato ferroso pode causar efeitos colaterais como náuseas, cólicas abdominais, obstipação e diarreia. Além disso, o sabor metálico característico faz com que a rejeição à sua ingestão seja frequente.

A baixa biodisponibilidade é outra importante – e negativa – característica do sulfato ferroso. Quanto menos biodisponível, menor sua absorção no organismo e, consequentemente, menor o resultado também.

Então, muitas vezes, aquela frase que vemos nos rótulos é apenas uma diferenciação promocional. Entre um achocolatado “rico em ferro” e um achocolatado comum, qual seria nossa escolha? Exatamente: a primeira opção. Mesmo que isso significasse pagar mais caro por um produto que, afinal, além de não nos trazer benefícios, pode causar mal à nossa saúde.

Em contrapartida ao sulfato ferroso, o ferro bisglicinato quelato Albion (Ferrochel) possui, efetivamente, biodisponibilidade muito superior – ou seja, é absorvido pelo organismo -, não causa efeitos colaterais e não altera o sabor e cheiro de alimentos e bebidas, evitando, dessa forma, a possível rejeição ao produto.

Como exemplo disso, temos um estudo publicado em Guarulhos-SP, que avaliou o efeito de uma bebida achocolatada fortificada com Ferrochel no controle da anemia ferropriva em crianças pré-escolares. Os resultados foram significativamente positivos, pois o nível de hemoglobina, ferritina e eritrócitos aumentou ao final da suplementação. Leia o post completo clicando aqui.

Conclusão

Assim, considerando os fatores apresentados em relação ao sulfato ferroso, os resultados do estudo relatado e os contrastes deste composto com o ferro bisglicinato quelato, conclui-se que a melhor opção para suplementação de ferro é o Ferrochel Albion.

Referência

STULBACH, Tamara Eugenia; NAME, Jose João; DABOIN, Blanca Elena Guerrero; SZARFARC, Sophia Cornbluth. Efficacy of the national program of iron supplementation in the anemia control in infants assisted by child education centers. Journal of Human Growth and Development, v. 24, n. 3, p. 282-8. 2014.

Compartilhe:Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInEmail this to someone

Deixe um comentário

Receba nossas novidades por e-mail

Não divulgaremos suas informações