Zinco e saúde masculina

Zinco e saúde masculina

Por Em Nutrição & Saúde Em 26 de outubro de 2015


Em geral, as doenças nos homens são diagnosticadas mais tardiamente, por fatores culturais, acarretando pior prognóstico e encurtando a expectativa de vida. No Brasil, o panorama atual segue o padrão observado em outros países, no qual a mortalidade masculina é cerca de 50% maior do que a feminina.

O zinco é constituinte de mais de 300 metaloenzimas, por isso desempenha papel importante em diversos sistemas do organismo. Além do seu papel na função antioxidante e no sistema imune, o zinco também atua no sistema reprodutor masculino.

No homem, suas principais funções consistem em:

- diferenciação das gônadas;

- crescimento dos testículos;

- síntese e maturação dos espermatozoides.

Evidências científicas demonstram que a deficiência de zinco prejudica o sistema reprodutor masculino. Estudos com animais relataram que a deficiência de zinco diminuiu a mobilidade dos espermatozoides. Também têm sido relatadas alterações na atividade da enzima conversora de angiotensina (ECA), o que, por sua vez, provoca redução da produção de testosterona, com subsequente inibição da espermatogênese.

Dessa forma, o zinco é crucial para a saúde masculina. Sua Ingestão Diária Recomendada (IDR) para homens adultos é de 7mcg, e pode ser encontrado em alimentos de origem animal, como carne vermelha, ovo, leite e derivados, e também em cereais integrais, oleaginosas, sementes e leguminosas.

No entanto, muitas vezes, os homens não conseguem atingir a IDR de zinco somente por meio da alimentação comum e é, então, que se pode optar pelo consumo de alimentos fortificados ou pela suplementação.

O composto de zinco mais recomendado para utilização na fortificação de alimentos é o Zinco Bisglicinato Quelato Albion®, pois ele não altera as propriedades sensoriais dos alimentos e não interage com outros nutrientes. Também é indicado para suplementos nutricionais, uma vez que não causa efeitos colaterais, possui biodisponibilidade muito superior, segurança e eficácia comprovadas por estudos científicos.

Referências:

  • Laurenti, R., Jorge, M. H. P. M., & Gotlieb, S. L. D. (2005). Perfil epidemiológico da morbi-mortalidade masculina. Ciênc saúde coletiva, 10(1), 35-46.
  • Yamaguchi, S., Miura, C., Kikuchi, K., Celino, F. T., Agusa, T., Tanabe, S., & Miura, T. (2009). Zinc is an essential trace element for spermatogenesis. Proceedings of the National Academy of Sciences, 106(26), 10859-10864.
  • Henriques, G. S., Hirata, M. H., & Cozzolino, S. M. F. (2003). Aspectos recentes da absorção e biodisponibilidade do zinco e suas correlações com a fisiologia da isoforma testicular da Enzima Conversora de Angiotensina. Rev. nutr, 16(3), 333-345.
Compartilhe:Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInEmail this to someone

Sobre o Autor

Kilyos Minerals & Nutrition

Deixe um comentário

Receba nossas novidades por e-mail

Não divulgaremos suas informações