(55) 11 2925 6035 |  kilyos@kilyos.com.br

Ganhadora do Prêmio BIS por 3 anos consecutivos. Saiba mais sobre a Kilyos | Entre em contato

Nutrição e Saúde

Nutrição na saúde pré-natal

Uma alimentação adequada e equilibrada é de fundamental importância para a promoção e manutenção da saúde em qualquer período do ciclo de vida. A gestação e a lactação, por sua vez, são momentos biológicos que merecem o máximo de atenção no que se refere à oferta de macro e micronutrientes, uma vez que além da saúde materna é necessário garantir o adequado crescimento e desenvolvimento fetal. A nutrição no período pré-natal envolve mais que o ganho de peso e ingestão calórica. De fato, a ingestão diária recomendada (IDR) de muitos nutrientes aumenta durante a gestação. Vale mencionar que a única fonte de nutrientes do bebê é constituída pela ingestão e reservas nutricionais materna.

Nesse cenário, a manutenção de níveis adequados de nutrientes como ferro, colina, vitamina K2, ácido fólico, vitamina D e ômega-3 é essencial para garantir que todas as alterações metabólicas do período gestacional ocorram de forma saudável para a mãe e o bebê.

Ferro

O ferro é considerado um nutriente de extrema importância para o decorrer de uma gestação saudável. Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), mais de 40% das mulheres grávidas são anêmicas. Durante a gestação, o volume sanguíneo chega a aumentar cerca de 50% e, consequentemente, a quantidade de ferro também deve ser adaptada para manter os níveis de hemoglobina adequados. A deficiência desse mineral pode acarretar em prejuízos para o desenvolvimento do embrião e saúde da mãe, tais como quadros de anemia, retardo do crescimento intrauterino, prematuridade e déficit cognitivo na criança. Dessa forma, a suplementação de ferro para este grupo é essencial e se faz necessária durante toda a gravidez, sendo inclusive uma recomendação oficial da OMS, que orienta a ingestão diária de 30 a 60mg de ferro elementar.

Colina

A colina é indispensável para o desenvolvimento da criança desde o período pré-natal. Dentre os seus inúmeros benefícios, esse nutriente está relacionado com a menor incidência de defeitos de fechamento do tubo neural, descolamento de placenta, quadros de pré-eclâmpsia e controle do estresse no momento do parto. A colina tem, ainda, papel primordial no desenvolvimento cognitivo do bebê.  Apesar da sua importância, o consumo desse nutriente, tanto por gestantes quanto por mulheres em fase reprodutiva, está bem abaixo do recomendado, o que demonstra a necessidade da sua suplementação na dieta. Desde 2017, a Associação Médica Americana (AMA) recomenda a inclusão da colina dentre os nutrientes que devem ser consumidos e/ou suplementados durante o período pré-natal.

Vitamina K2

A vitamina K desempenha importantes funções fisiológicas, o que inclui a coagulação sanguínea, a promoção da saúde cardiovascular (através da inibição da calcificação dos vasos sanguíneos) e a mineralização óssea. A deficiência dessa vitamina durante a gestação pode acarretar em distúrbios hemorrágicos e problemas no desenvolvimento esquelético do bebê, tal como malformações da coluna vertebral. Nesse sentido, já é conhecido que a suplementação de vitamina K no período pré-natal melhora a coagulação das gestantes e otimiza os fatores de coagulação dependentes de vitamina K no sangue do cordão umbilical, reduzindo a incidência e severidade de desordens hemorrágicas em neonatos. A vitamina K é um grupo de vitaminas lipossolúveis (solúveis em lipídios) que ocorre naturalmente sob duas formas: as filoquinonas (vitamina K1) e as menaquinonas (vitamina K2), sendo essa última a forma mais eficaz e biodisponível da vitamina K, permanecendo mais tempo no organismo e atuando em proteínas importantes para a coagulação e saúde óssea e cardiovascular.

Ácido fólico

O ácido fólico é um micronutriente já consolidado na prática clínica como essencial para o período gestacional. A deficiência desse composto pode trazer prejuízos à saúde da mãe e do filho, tais como pré-eclâmpsia, anemia megaloblástica, baixo peso ao nascer e, principalmente, defeitos de fechamento do tubo neural do bebê. De acordo com o Conselho Federal de Medicina (CFM), a maior parte das mulheres em idade fértil não consome a quantidade suficiente de ácido fólico. Sendo assim, o órgão recomenda a suplementação desse nutriente principalmente no período pré-concepcional e durante o primeiro trimestre da gestação.

Vitamina D

A vitamina D também é fundamental para uma gestação saudável. A deficiência dessa vitamina pode gerar complicações, como diabetes gestacional, parto prematuro e raquitismo neonatal. Além dessas consequências, tem sido demonstrado uma correlação entre a deficiência de vitamina D com quadros de pré-eclâmpsia em mulheres grávidas.

Ômega-3

Além de seus benefícios na prevenção contra doenças cardiovasculares, o ômega-3 também possui papel essencial no desenvolvimento fetal. Estudos observacionais constataram que o consumo de ômega-3 (através da alimentação ou suplementação) durante a gravidez pode estar relacionado com um melhor desenvolvimento neurológico na criança.

 

Considerando a importância da nutrição durante o período pré-natal, o acompanhamento nutricional da gestante por um profissional habilitado é fundamental para que seja possível adequar as quantidades de macro e micronutrientes em um plano alimentar apropriado e que vise um bom desfecho para a mãe e o bebê.

 

Referências

 Jiang X, West AA, Caudill MA. Maternal choline supplementation: a nutritional approach for improving offspring health? Trends Endocrinol Metab. 2014; 25 (5): 263-273.
 Guimarães AF, Silva SMCS. Necessidades e recomendações nutricionais na gestação. Centro Universitário S. Camilo. 2003; 9 (2): 36-49.
Parizzi, MR, Fonseca JGM. Nutrição na gravidez e na lactação. Rev Med Minas Gerais. 2010; 20 (3):341-353.
Crivellenti LC, Barbieri P, Sartorelli DS. Inadequação de folato na dieta de gestantes. Rev. Nutr. 2014; 27 (3).
Conselho Federal de Medicina. Recomendação CFM Nº 2/13, de 19 de setembro de 2013. Disponível em: https://portal.cfm.org.br/images/stories/pdf/folico.pdf
Albion Minerals. Ferrochel® and Iron Taste Free™ – The Solutions! Research Notes. 2015 24 (4).
Murakami PY, Hofelmann DA. Uso de suplementos de ácido fólico e ferro em gestantes de uma unidade de saúde do Paraná. 2016; Rev. Bras. Pesq. Saúde, 18(3): 100-113.
OMS. Diretriz: Suplementação diária de ferro e ácido fólico em gestantes. Genebra: Organização Mundial da Saúde; 2013.
Basile LH. Gestante e necessidade da vitamina D. International Journal of Nutrology. 2014; 7 (1): 05-13.
Coletta JM, Bell SJ, Roman AS. Omega-3 Fatty Acids and Pregnancy. Rev Obstet Gynecol. 2010; 3 (4): 163–171.
Nuñez MCE, Vilarreal AB, Cadena LH, Olivos EM, Sly PD, Romieu I. Omega-3 Fatty Acid Supplementation During Pregnancy and Respiratory Symptoms in Children. 2014; 146 (2): 373-382.
Brasil. Ministério da Saúde. Atenção ao Pré-Natal de Baixo Risco. 1 ed. Brasília: Secretaria de Atenção Básica, 2013. Disponível em: http://189.28.128.100/dab/docs/portaldab/publicacoes/caderno_32.pdf

Previous Article

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *