+55 11 2925 6035

imagem da noticia
Mesmo quando mantemos hábitos de vida saudáveis e uma dieta variada, sem a suplementação de vitaminas e minerais é muito difícil obtermos todos os nutrientes em quantidades adequadas para o ótimo funcionamento do nosso organismo. As cinco razões a seguir mostram o porquê provavelmente você precisa tomar suplementos nutricionais.

1. Preencher lacunas nutricionais
Estudos de adequação alimentar apontam para uma deficiência nutricional generalizada nas diversas camadas da população. De fato, a grande maioria das pessoas não obtêm a quantidade recomendada de nutrientes importantes apenas com os alimentos. As razões podem ser muitas: a adoção dietas restritivas, falta de apetite, hábitos alimentares irregulares, consumo de alimentos processados, estresse, entre outros.

A suplementação visa preencher a lacuna nutricional desencadeada por esses fatores, aumentando a densidade de nutrientes da dieta e garantindo o seu consumo em quantidades adequadas. Vale notar que, embora a suplementação não possa substituir uma dieta balanceada, pode ajudar a prevenir os danos que os hábitos alimentares inadequados causam.

2. Compensar fatores individuais
Diversos fatores intrínsecos ao indivíduo influenciam na capacidade de absorção e aproveitamento dos nutrientes consumidos. Esses fatores incluem a idade, gênero, estado fisiológico (como crescimento, gestação ou envelhecimento), estado de saúde geral e o estado nutricional do indivíduo.

Por exemplo, o envelhecimento está associado com um declínio de determinados nutrientes no organismo devido à redução da ingestão alimentar, a menor eficiência de absorção de nutrientes, a redução da produção de enzimas digestivas e o uso de medicamentos que aumentam a demanda de determinados nutrientes. Outro exemplo são os atletas, que precisam dar conta do gasto aumentado de energia e nutrientes para se recuperarem após um treino intenso.

3. Interação dos nutrientes entre si e com compostos antinutricionais na dieta
O fato de um nutriente estar presente na dieta ou suplemento não garante que este seja biodisponível. De fato, diversos fatores incidem sobre a sua absorção e utilização pelo organismo. Por exemplo, os compostos antinutricionais, ou antinutrientes, encontrados naturalmente nos alimentos, podem impedir ou dificultar a absorção de determinados nutrientes no sistema digestivo.

Existem vários compostos na nossa dieta que são classificados como antinutrientes. Um exemplo é o fitato, presente em grandes quantidades em cereais e leguminosas como o feijão, que pode se ligar a diversos minerais inorgânicos e formar complexos insolúveis que impedem a sua absorção.

Vale notar que não são só os antinutrientes que influenciam na biodisponibilidade dos minerais. Os próprios minerais podem interagir entre si, exercendo um antagonismo mútuo e prejudicando a absorção uns dos outros.

4. Queda dos níveis de minerais no solo
O conteúdo de nutrientes nos alimentos, como frutas e vegetais, está relacionado à qualidade do solo. Diversos estudos que avaliaram a composição de alimentos ao longo do tempo mostram um declínio no conteúdo de seus nutrientes no último século. Esta diminuição do teor nutricional é atribuída ao uso intensivo dos solos agrícolas através da agricultura industrial, o que resulta na “mineração” da fertilidade do solo e sua degradação.

Além disso, desde a década de 1940, observou-se que o aumento da produtividade de plantios induzida por fertilização, irrigação e outros meios ambientais tendem a diminuir as concentrações de minerais nas plantas, processo conhecido como “efeito de diluição”. De fato, análises de dados históricos da composição de alimentos indicaram declínios de 5 a 40% nos níveis de alguns minerais em alimentos.

5. Processamento dos alimentos
O processamento (incluindo o preparo) de alimentos pode resultar em perdas nutricionais. As vitaminas podem ser destruídas pelo calor, luz, agentes oxidantes e mudança do pH, enquanto os minerais podem ser removidos dos alimentos durante o processamento.

Por exemplo, o branqueamento (processo de conservação de alimentos que consiste na sua imersão em água fervente seguido pelo esfriamento em água gelada) resulta em perdas por lixiviação de minerais, enquanto a moagem pode causar a remoção física de minerais durante o processamento.
 
Considerações finais
Em suma, diversos fatores influenciam na disponibilidade, absorção e distribuição dos nutrientes antes que eles alcancem seu local de ação no organismo e consigam participar de processos metabólicos. Estes incluem fatores da dieta ou suplemento (como a quantidade e qualidade da fonte mineral e interferências na sua biodisponibilidade pela interação com outros minerais ou antinutrientes da dieta) ou fatores inerentes do indivíduo (como estado fisiológico ou doenças que prejudicam a absorção de nutrientes). Dessa forma, fica clara a relevância da suplementação nutricional para compensar a influência destes fatores, a fim de garantir seus níveis adequados para o organismo.

Para minimizar a influência desses fatores, a Albion® desenvolveu compostos minerais de alta biodisponibilidade: os Minerais Aminoácidos Quelatos Albion®. Os minerais da Albion®, devido à sua estrutura única, não interagem uns com os outros ou com antinutrientes, bem como não acarretam efeitos adversos comumente causados pelos minerais inorgânicos e que, muitas vezes, inviabilizam o tratamento nutricional. Saiba mais sobre os diferenciais dos minerais quelatos da Albion®.


 
Produzido por: Andrea Rodrigues Vasconcelos, PhD
 
Referências
Ashmead HD (2012). Amino Acid Chelation in Human and Animal Nutrition. Boca Raton, FL, CRC Press.
Davies NT (1979). "Anti-nutrient factors affecting mineral utilization." Proc Nutr Soc 38(1): 121-128.
Davis DR (2009). "Declining Fruit and Vegetable Nutrient Composition: What Is the Evidence?" HortScience 44(1): 15–19.
Haase H e Rink L (2009). "The immune system and the impact of zinc during aging." Immun Ageing 6: 9.
Lyne JW e Barak P (2000). "Are Depleted Soils Causing a Reduction in the Mineral Content Of Food Crops?" Dept of Soil Science, University of Wisconsin - Madison. Acesso em: 8 de novembro de 2020. Disponível em: <https://soils.wisc.edu/facstaff/barak/poster_gallery/minneapolis2000a/>.
Meunier N et al. (2005). "Importance of zinc in the elderly: the ZENITH study." Eur J Clin Nutr 59 Suppl 2: S1-4.
Nissar J et al. (2017). "A review phytic acid: As antinutrient or nutraceutical." Journal of Pharmacognosy and Phytochemistry 6(6): 1554-1560.
Reddy MB e Love M (1999). "The impact of food processing on the nutritional quality of vitamins and minerals." Adv Exp Med Biol 459: 99-106.
Schlemmer U et al. (2009). "Phytate in foods and significance for humans: food sources, intake, processing, bioavailability, protective role and analysis." Mol Nutr Food Res 53 Suppl 2: S330-375.
Ummadi P et al. (1995). "The influence of extrusion processing on iron dialyzability, phytates and tannins in legumes" J Food Process and Preserv. 19: 119-131.
Wolde T (2014). "Effects of caffeine on health and nutrition: A Review." Food Science and Quality Management 30: 59-65.

Materias relacionadas

imagem da noticia

O papel da vitamina K2 para uma gravidez mais saudável

imagem da noticia

A participação da colina na saúde

imagem da noticia

Vitamina K2 no Congresso de Cardiologia