+55 11 2925 6035

imagem da noticia
As cãibras (ou câimbras) nas pernas são um problema muito comum durante a gravidez, principalmente na segunda metade da gestação. Estima-se que entre 30 a 50% das mulheres grávidas sofrem cãibras nas pernas, pelo menos duas vezes por semana, durante o terceiro trimestre de gestação.

As cãibras são contrações involuntárias e dolorosas dos músculos que duram de segundos a minutos. Elas geralmente ocorrem durante a noite, podendo resultar em perturbações do sono da gestante e potencialmente causar outras complicações. Por exemplo, um estudo relatou que dormir menos de 6 horas por noite durante a gravidez está associado a um trabalho de parto mais prolongado e a uma maior taxa de cesariana.

Ninguém sabe ao certo o motivo pelo qual as mulheres sofrem mais cãibras nas pernas durante a gravidez. A razão pode estar relacionada com alterações na circulação sanguínea e sobrecarga nos músculos das pernas devido ao peso extra.

Acredita-se também que as cãibras durante a gestação possam ocorrer devido a deficiências nutricionais ou desequilíbrios eletrolíticos associados, por exemplo, ao magnésio. Dessa forma, este mineral pode ter papel fundamental para a prevenção das cãibras durante a gravidez. De fato, os efeitos positivos da suplementação de magnésio nas cãibras foram comprovados por três estudos clínicos com gestantes de diferentes países, descritos a seguir.

Um estudo realizado por pesquisadores do departamento de Obstetrícia e Ginecologia da Faculdade de Medicina da Universidade de Chulalongkorn, na Tailândia, avaliou a eficácia terapêutica do magnésio oral por quatro semanas em 80 gestantes que tinham cãibras nas pernas pelo menos duas vezes por semana, entre a 14a e a 34a semanas de gestação. As gestantes foram suplementadas com magnésio bisglicinato quelato (300 mg por dia) ou com placebo.

Como resultado, as mulheres que receberam o suplemento de magnésio tiveram uma redução significativamente maior da frequência e da intensidade das cãibras: 86% delas tiveram uma redução pela metade da frequência de cãibras (comparado com 60,5% das gestantes do grupo placebo) e 69,8% tiveram redução pela metade da intensidade das cãibras (comparado com 48,8% das gestantes do grupo placebo). Vale notar que não houve diferenças significativas entre os dois grupos em termos de efeitos colaterais, como náusea e diarréia, o que demonstra a segurança da suplementação oral de magnésio bisglicinato quelato.

Um outro estudo conduzido por pesquisadores do departamento de Obstetrícia e Ginecologia do Hospital Universitário de Linköping, na Suécia, também investigou o efeito da suplementação de magnésio em 63 gestantes que sofriam com cãibras nas pernas. As gestantes foram suplementadas com magnésio (366 mg por dia) ou placebo durante 3 semanas.

Foi visto que as gestantes participantes do estudo apresentavam níveis baixos de magnésio, como também é comumente observado em gestantes saudáveis. Mais uma vez, foi constatado que a suplementação com magnésio reduziu significativamente o desconforto das cãibras nas pernas em comparação com o grupo placebo.

Por fim, um terceiro estudo de pesquisadores do departamento de Obstetrícia e Ginecologia do Hospital Alzahra, no Irã, investigou os efeitos da suplementação de magnésio em 180 gestantes divididas em 3 grupos. O primeiro (grupo A) foi composto por gestantes não deficientes de magnésio (níveis séricos do mineral acima de 1,9 mg/dL) que receberam um comprimido multimineral uma vez por dia, até o final da gravidez. Já os grupos B e C, compostos por gestantes com baixos níveis séricos de magnésio, receberam comprimidos multiminerais diariamente até o final da gravidez, sendo que apenas o grupo C recebeu suplementação extra de magnésio, totalizando 300 mg do mineral por dia, durante um mês.

Além das cãibras nas pernas, foram avaliados diversos outros parâmetros importantes relacionados à gestação, como retardo de crescimento intrauterino, parto prematuro, peso do recém-nascido, hipertensão gestacional, diabetes gestacional, pré-eclâmpsia e índice de massa corporal materna. Em todos estes parâmetros avaliados, inclusive em relação às cãibras, as gestantes que receberam suplementação de magnésio (grupo C) apresentaram um resultado melhor em comparação aos outros dois grupos.

Portanto, os estudos clínicos acima indicam que a suplementação oral de magnésio não só pode ser uma opção terapêutica segura para mulheres que sofrem de cãibras nas pernas durante a gravidez, mas também pode reduzir a probabilidade de ocorrência de complicações na gestação. Vale lembrar: sempre consulte o seu obstetra para avaliar a necessidade de qualquer suplemento durante a gestação.
 

Produzido por: Andrea Rodrigues Vasconcelos, PhD.


Referências
Zhou K et al. (2015). Interventions for leg cramps in pregnancy (Review). Cochrane database of systematic reviews, 8:CD010655.
Lee K.A. & Gay C.L. (2004) Sleep in late pregnancy predicts length of labor and type of delivery. American Journal of Obstetrics and Gynecology, 191, 2041–2046.
Ponnapula P e Boberg JS (2010). Lower extremity changes experienced during pregnancy. The Journal of Foot & Ankle Surgery, 49:452–8.
Dahle LO et al. (1995). The effect of oral magnesium substitution on pregnancy-induced leg cramps. American Journal of Obstetrics & Gynecology, 173(1):175-180.
Supakatisant C e Phupong V (2015). Oral magnesium for relief in pregnancy-induced leg cramps: a randomised controlled trial. Maternal & Child Nutrition, 11(2):139-145.

Materias relacionadas

imagem da noticia

Colina: nutriente essencial para o bebê durante a gravidez

imagem da noticia

Mitos e verdades sobre a acne

imagem da noticia

O papel do zinco na cirrose