+55 11 2925 6035

imagem da noticia
Um casal pode ser considerado como tendo problemas de fertilidade se estiver tentando engravidar por mais de um ano sem sucesso. Isso pode afetar até um quarto de todos os casais e estima-se que, para 40-50% deles, o problema de fertilidade pode resultar de fatores que afetam as mulheres.

Atualmente, cada vez mais mulheres no Brasil e no mundo têm adiado a primeira gravidez por diversos motivos, como focar no sucesso da carreira. Com o passar da idade, a fertilidade da mulher diminui: segundo o National Institutes of Health, estima que as mulheres na casa dos 30 anos têm metade da fertilidade das mulheres perto dos 20 anos, e a chance de engravidar diminui significativamente após os 35 anos.

Apesar de a dificuldade de engravidar estar se tornando um problema cada vez mais comum, felizmente existem algumas maneiras naturais de aumentar a fertilidade feminina e as chances de engravidar mais rápido. De fato, mudanças na nutrição e no estilo de vida podem ajudar reduzir o risco de problemas de fertilidade e ovulação em até 69%.

Mais especificamente em relação a fatores nutricionais, mulheres que tomam multivitamínicos podem ter menor probabilidade de sofrer de infertilidade. Um estudo que acompanhou 18.555 mulheres por 8 anos descobriu que as que tomaram multivitamínicos tiveram um risco de infertilidade até 41% menor.

A seguir estão alguns nutrientes específicos que podem ajudar a aumentar a fertilidade da mulher e contribuir para que ela engravide mais rápido.

Nutrientes aliados à fertilidade feminina
Estudos demonstraram que, em relação à reprodução feminina, o zinco desempenha um papel importante na ovulação, no desenvolvimento sexual e no ciclo menstrual da mulher. Da mesma forma, o folato é importante para a qualidade e maturação dos óvulos, implantação do embrião, crescimento fetal e desenvolvimento dos órgãos do bebê.

O consumo de suplementos de ferro também pode diminuir o risco de infertilidade. Um estudo observacional que acompanhou 438 mulheres por 8 anos descobriu que tomar suplementos de ferro estava relacionado a um risco 40% menor de infertilidade ovulatória. Vale notar que a vitamina C ajuda a aumentar a absorção do ferro no organismo.

Outro estudo descobriu que um suplemento dietético contendo nutrientes como vitamina E e vitamina B6 aumentava as chances de concepção. Após três meses de suplementação, 26% das mulheres engravidaram, em comparação com apenas 10% das que não tomaram o suplemento.

Recentemente, uma metanálise de cinco estudos clínicos com 449 mulheres com problemas de fertilidade mostrou que a suplementação com coenzima Q10 resulta em um aumento significativo da taxa de gravidez das mulheres para 28,8% quando comparada com 14,1% nas mulheres suplementadas com placebo ou sem tratamento.

Considerações finais
Em conclusão, uma boa nutrição, em especial o consumo de níveis adequados de determinados nutrientes, pode influenciar positivamente a saúde do sistema reprodutivo feminino e, dessa forma, beneficiar a fertilidade.

Vale notar que além da nutrição adequada, fatores como o controle do peso, prática de atividade física e cuidados preventivos podem favorecer a fertilidade, enquanto outros fatores, como estresse psicológico, obesidade, tabagismo, uso de drogas, consumo elevado de álcool e cafeína e a alta exposição a poluentes ambientais podem ter impacto negativo nas chances de engravidar.

Portanto, fazer mudanças positivas no estilo de vida pode ajudar a aumentar a fertilidade e a preparar o organismo para a gravidez. Se você está tentando engravidar, é importante que adote uma nutrição e hábitos saudáveis o quanto antes. Converse com seu médico e nutricionista.
 


Produzido por: Andrea Rodrigues Vasconcelos, PhD.
 
Referências
Miranda-Ribeiro A et al. (2019). Baixa fecundidade e adiamento do primeiro filho no Brasil. Revista Brasileira de Estudos de População, 36, e0080.
National Institutes of Health. How common is infertility? Disponível em: <nichd.nih.gov/health/topics/infertility/conditioninfo/common> Acesso em: 17 de Agosto de 2020.
Showell MG et al. (2017). Antioxidants for female subfertility. Cochrane Database Syst Rev. 2017;7(7):CD007807. Published 2017 Jul 28.
Sharma R et al. (2013). Lifestyle factors and reproductive health: taking control of your fertility. Reprod Biol Endocrinol. 11:66.
Silvestris E et al. (2019). Nutrition and Female Fertility: An Interdependent Correlation. Front Endocrinol (Lausanne). 10:346.
Chavarro JE et al. (2007). Diet and lifestyle in the prevention of ovulatory disorder infertility. Obstet Gynecol. 110(5):1050-1058.
Chavarro JE et al. (2008) Use of multivitamins, intake of B vitamins, and risk of ovulatory infertility. Fertil Steril. 89(3):668-676.
Chavarro JE et al. (2006). Iron intake and risk of ovulatory infertility. Obstet Gynecol. 108(5):1145-1152.
Ebisch IM et al. (2007). The importance of folate, zinc and antioxidants in the pathogenesis and prevention of subfertility. Hum Reprod Update. 2007;13(2):163-174.
Agarwal A et al. (2005). Role of oxidative stress in female reproduction. Reprod Biol Endocrinol. 3:28.
Westphal LM et al. (2006). Double-blind, placebo-controlled study of Fertilityblend: a nutritional supplement for improving fertility in women. Clin Exp Obstet Gynecol. 33(4):205-208.
Chavarro JE, Rich-Edwards JW, Rosner BA, Willett WC. Iron intake and risk of ovulatory infertility. Obstet Gynecol. 2006;108(5):1145-1152.
Florou P et al. (2020). Does coenzyme Q10 supplementation improve fertility outcomes in women undergoing assisted reproductive technology procedures? A systematic review and meta-analysis of randomized-controlled trials [published online ahead of print, 2020 Aug 7]. J Assist Reprod Genet. 10.1007/s10815-020-01906-3.

Materias relacionadas

imagem da noticia

Minerais e Doenças cardiovasculares

imagem da noticia

Micronutrientes e desenvolvimento cognitivo infantil

imagem da noticia

Vitamina K2 é destaque na imprensa como aliada da saúde dos ossos e do coração!