+55 11 2925 6035

imagem da noticia
O whey protein é um suplemento já consolidado no mercado fitness e um dos mais consumidos pelos esportistas, contudo, este não é o único suplemento derivado da proteína do leite com efeitos significativos para a performance física. O colostro bovino é um suplemento nutricional, recentemente aprovado pela ANVISA para o público adulto, composto por micro e macronutrientes, como vitaminas, minerais e proteínas, além de fatores de crescimento e imunológicos [1].

O colostro é o primeiro leite secretado pela glândula mamária dos mamíferos. Ele é recebido pela prole durante as primeiras horas de vida, ou seja, no período de 24 a 48 horas iniciais após o parto [2, 3]. No caso do colostro bovino, os componentes presentes chegam a ser cerca de 100 a 1000 vezes mais concentrados que no colostro humano [1]. Por isso, os efeitos terapêuticos do colostro bovino se refletem na modulação e fortalecimento do sistema imune, na saúde gastrointestinal, que hospeda 70% do nosso sistema imunológico e na performance física, o assunto em pauta de hoje [4-8]!

O efeito da suplementação com colostro bovino tem recebido atenção considerável, principalmente com base na hipótese de que ele pode melhorar a absorção de nutrientes e a composição corporal [9]. Os altos níveis de fatores de crescimento, como o IGF-1, conhecidos por estimular a síntese de proteínas, despertaram interesse dos possíveis efeitos do colostro na composição corporal, força muscular e resistência [9].

O dano muscular induzido pelo exercício é um dos fatores limitantes do desempenho físico que, por consequência, resulta numa pior performance do atleta. Exercícios físicos extenuantes podem ainda desacelerar o sistema imunológico, deixando os atletas mais suscetíveis a doenças e infecções [1]. As evidências científicas demonstram que o colostro bovino promove uma melhora significativa no desempenho esportivo de atletas profissionais e amadores, por meio da:
   

O estudo de Kotsis et al. (2018) analisou o efeito da suplementação de 400 mg de colostro bovino na performance de jogadores de futebol, durante um período de 6 semanas. Os resultados apontaram uma melhora dos movimentos e da altura do salto do agachamento, quando comparado com o grupo que recebeu whey protein. O colostro bovino promoveu ainda uma redução de marcadores inflamatórios, a proteína C-reativa (PCR) e a creatina quinase (CK), indicando a diminuição do status inflamatório causado pelo exercício físico extenuante, que resultaram em uma melhor performance [10].

De forma similar, o estudo de Buckley et al. (2002) havia avaliado o efeito do colostro bovino em comparação com o whey protein na recuperação muscular de jovens corredores. Os resultados mostraram que na segunda rodada de exercícios, os indivíduos do grupo colostro apresentaram uma melhor performance, possivelmente decorrente da melhor recuperação muscular [11]. A literatura sugere ainda que a suplementação do colostro bovino é mais eficaz durante os períodos de treinamento de alta intensidade (HIT), devido à rápida recuperação muscular e ao aumento da massa corporal magra [12].

Outro mecanismo de ação do colostro, é devido à presença da leptina na sua composição [8], um hormônio que age no controle do apetite, aumentando a sensação de saciedade, e regulando o gasto energético. A leptina atua em conjunto com o IGF-1 para reduzir os níveis elevados de colesterol e triglicerídeos [13]. O colostro bovino também promove a reparação de tecidos e a regeneração do crescimento muscular magro, consequentemente, aumentando a força e a resistência muscular [1].

Por fim, podemos concluir que o colostro bovino é uma opção promissora no mercado de suplementos esportivos, com mais de 6.000 estudos publicados comprovando sua segurança e eficácia para a saúde humana. Vale ressaltar ainda que é de suma importância o cuidado na escolha de um bom fornecedor de colostro bovino, a fim de garantir que a coleta respeite os princípios éticos e a saúde do animal, assim como a qualidade da matéria prima.

Nesse sentido, a Pantheryx® é uma empresa pioneira em nutrição e biotecnologia e líder mundial na produção e comercialização de colostro bovino. O ColostrumOne™ é um composto patenteado e a principal fonte de colostro no mundo, com testes rigorosos que garantem sua qualidade, segurança e eficácia.
 



Produzido por: Pietra Sacramento Prado, BSc e Renata Cavalcanti, PhD


Referências: 
1. Bagwe S., Tharappel L.J., Kaur G., Buttar H.S. J Complement Integr Med. 2015;12(3):175-185. 2. Tokuyama H., Tokuyama Y., Migita S. Growth Factors. 1990;3(2):105-114. 3. Stelwagen K., Carpenter E., Haigh B., Hodgkinson A., et al. J Anim Sci. 2009;87(13 Suppl):3-9. 4. Playford R.J., MacDonald C.E., Calnan D.P., Floyd D.N., et al. Clin Sci (Lond). 2001;100(6):627-633. 5. Rathe M., De Pietri S., Wehner P.S., Frandsen T.L., et al. JPEN J Parenter Enteral Nutr. 2020;44(2):337-347. 6. Filipescu I.E., Leonardi L., Menchetti L., Guelfi G., et al. PLoS One. 2018;13(8):e0202929. 7. Khan Z., Macdonald C., Wicks A.C., Holt M.P., et al. Aliment Pharmacol Ther. 2002;16(11):1917-1922. 8. Playford R.J., Weiser M.J. Nutrients. 2021;13(1). 9. Rathe M., Muller K., Sangild P.T., Husby S. Nutr Rev. 2014;72(4):237-254. 10. Kotsis Y., Mikellidi A., Aresti C., Persia E., et al. Eur J Nutr. 2018;57(3):1181-1195. 11. Buckley J.D., Abbott M.J., Brinkworth G.D., Whyte P.B. J Sci Med Sport. 2002;5(2):65-79. 12. Shing C.M., Jenkins D.G., Stevenson L., Coombes J.S. Br J Sports Med. 2006;40(9):797-801. 13. Kim J.H., Jung W.S., Choi N.J., Kim D.O., et al. J Nutr Biochem. 2009;20(4):298-303.

Materias relacionadas

imagem da noticia

Câncer e Obesidade

imagem da noticia

Uma alimentação rica em antioxidantes protege contra a depressão e a ansiedade

imagem da noticia

Qual a importância da regulação intestinal?